(011) 4990-0366 / 4990-0168

info@apmsantoandre.org.br

2º Encontro de Líderes debate o futuro do associativismo

O momento é de transição e o que for feito agora terá um impacto imenso no futuro

Quarta, 05 de junho de 2019


“Estamos nos aproximando dos 90 anos de Associação Paulista de Medicina. Quando chegamos próximo a uma data como esta, temos de refletir o que nos trouxe até aqui e o que vamos fazer para que esta instituição - representante dos médicos paulistas - se encontre vigorosa, efetiva e operosa aos 100, 110, 120, 150. Depende do que fizermos agora para garantir as expectativas do associativismo às próximas décadas.” Foram com essas palavras que o presidente da APM, José Luiz Gomes do Amaral, iniciou o 2º Encontro de Líderes da entidade, realizado na cidade de São Pedro (SP) de 31 de maio a 2 de junho.

Como meta de estabelecer rever e fazer avançar o planejamento estratégico do triênio 2017-2020, a reunião contou com a participação de 120 integrantes da APM, entre diretores, presidentes e representantes de Regionais e membros do Conselho Fiscal.

As novas exigências em termos de informação, conectividade e interatividade; o papel e a percepção do associativismo na vida do médico; e a ética e a transparência com critérios de responsabilidade profissional guiaram as discussões no encontro.

“Estamos em momento de transição e o que fizermos terá um impacto imenso no nosso futuro. O desafio não é apenas diagnosticar e tratar novas doenças ou as já existentes; é reduzir as diferenças sociais, fazer com que o progresso assistido seja estendido a toda humanidade, que não tenhamos apenas algumas pessoas se beneficiando dos avanços da genética, da engenharia genética ou do acesso a água e alimento. Esse é o nosso grande desafio médico”, pondera Amaral.

Contexto atualLevando em consideração que vivemos em plena era da velocidade interativa da informação e da comunicação, José Luiz Gomes do Amaral traçou um cenário das relações atuais, fazendo paralelos entre seis milhões de anos do processo evolutivo da espécie humana, a história da Associação Paulista de Medicina e a atual série de avanços tecnológicos.

“São 88 anos que nos separam dos médicos pioneiros que construíram a nossa entidade aos atuais atores. Vamos vê-la agora desfilar aos nossos olhos, por meio das 75 Regionais, com ideias, esperanças, expectativas para construirmos juntos em rede um material farto, rico e interessantíssimo”, afirmou.

O presidente da APM ainda defendeu a reformulação do processo comunicacional entre a APM Estadual e suas Regionais. “Com a revolução das redes sociais, nunca fomos tão bombardeados de informações e nunca fomos tão mal informados, não sabemos se estamos dando um passo à frente ou retrocedendo, se pensarmos na enxurrada de fakenews que buscam confundir nossas opções e decisões. Precisamos tomar decisões equilibradas diante dessa realidade.”

Investimento e performanceOs diretores Antonio José Gonçalves (secretário geral) e Paulo Cezar Mariani (1º secretário) conduziram, em seguida, os trabalhos. Em debate sobre racionalização de investimentos e boas performances de gestão, foi apresentada a ideia de utilização de parte das plantas das Regionais para um projeto provisoriamente batizado de Consultório Dr. APM, voltado ao médico recém-formado, com a disponibilização de infraestrutura para locação de consultórios por hora.

“A intenção é criar o primeiro consultório em ambientes conjuntos, com secretária, atendimento digital e prontuário eletrônico, em uma infraestrutura adaptada, com gestão administrativa e financeira”, esclarece Mariani.

A reformulação do Estatuto Social foi outro ponto mencionado. Umas das finalidades da mudança é “desenvolver e apoiar parcerias e programas de estágios, residências, estudos, projetos de extensão e pesquisas aplicadas, treinamentos, palestras, seminários, eventos e cursos”, em centros acadêmicos privados e públicos. Além da possibilidade de inscrições para associados adjunto ou aspirante (recém-graduados, pessoa jurídica e associado previdenciário, por exemplo).

Gonçalves fez também um balanço da representatividade médica no estado paulista. “Temos uma população de 127 mil médicos. O associativismo teve uma estabilidade importante nos últimos dois anos, o que se explica parcialmente pela crise enfrentada pelo Brasil. Portanto, há bastante espaço para crescer na capital e no interior.”

O secretário geral também tratou do processo de racionalização de investimentos e boas performances de gestão das. “O papel da APM é apoiar suas unidades; entretanto, no dia a dia, cada uma das 75 Regionais ativas precisa gerar recursos necessários para a própria sustentabilidade. Queremos, se possível, aumentá-las com viabilidade, para sermos mais fortes. Por isso, temos de olhar para a infraestrutura, de forma que as nossas questões política, social, de ensino e de evolução tecnológica sejam atendidas.”

Defesa e tecnologia O diretor de Defesa Profissional, Marun David Cury, pontuou os trabalhos realizados em defesa profissional este ano no interior de São Paulo, como o diálogo em Araras para evitar a paralisação dos profissionais da Santa Casa de Misericórdia, a reunião para mediar crises na Santa Casa de Misericórdia de Itu, o encontro para orientação aos médicos em Suzano e a reunião com o Grupo São Camilo em Itu.

Já o diretor Administrativo da Associação, Florisval Meinão, apresentou a plataforma DrApp-APM que disponibiliza um contingente de 3 milhões de pacientes conectados diretamente com os 30 mil associados, para, a qualquer momento, agendar consultas e realização de procedimentos diversos. A plataforma é gratuita e o médico é remunerado de acordo com os valores da CBHPM.

Por fim, o diretor de Tecnologia de Informação da APM, Antonio Carlos Endrigo, fez um balanço do Global Summit Telemedicine & Digital Health, uma iniciativa da entidade, que aconteceu entre os dias 3 e 6 de abril, no Transamerica Expo Center. O GS contou com a participação de 1.500 pessoas, com mais de 100 palestrantes.

O 2º Encontro de Líderes teve o fechamento oficial de Akira Ishida, 2º Vice-presidente da APM, para quem a reunião atingiu todas as expectativas, estimulando a polêmica, novas ideias e estratégias, além de integrar as Regionais.

“Tivemos uma presença maciça das representantes. No ensejo, todos puderam expor realizações, problemas e expectativas. Foi um sucesso.”

ExpectativasDiretores da APM e presidentes das Regionais avaliaram o segundo encontro. Confira algumas declarações.

“Este evento foi muito importante para a APM, porque reuniu as principais lideranças médicas do Estado para discutir o futuro de nossa Associação. Vivemos algumas dificuldades, principalmente, no ambiente profissional, e cabe a nossa entidade encontrar soluções para o médico exercer sua profissão com dignidade. A troca de experiências e soluções encontradas por diferentes unidades nos possibilitou sair bem satisfeitos e com uma expectativa de melhorar ainda mais a administração da APM.” Florisval Meinão (Diretor Administrativo)

“Todo encontro é positivo e tem sua mensagem, seu ponto de conciliação entre colegas. É realmente expondo desafios e soluções, compartilhando experiências entre representantes, que podemos proceder a avançar para tornar a APM atualizada e, assim, atrair novos associados. O próximo encontro, acredito, trará os resultados expostos aqui hoje. E espero que reviva um associativismo entre os presidentes das Regionais e da própria APM.” Paulo Cezar Mariani (1º Secretário)

“O evento foi muito bom; tivemos vários líderes trocando informações, criatividades para suprir cada problema em sua localidade. Ao juntar essas ideias, podemos evoluir em termos de associativismo, nas partes financeira, social e científica.” Ana Beatriz Soares (Santos)

“A participação da nossa instituição foi de grande importância, principalmente para nos trazer novas ideias e novos caminhos a seguir com a experiência de tantas Regionais com sucesso, mesmo com as dificuldades diárias. Aprendemos com esses cases de sucesso. Que nos próximos encontros tenhamos sempre pontos positivos ao crescimento em nossa unidade.” Elvércio Pereira de Oliveira Junior – Itu

“A nossa Casa do Médico figura entre as boas Regionais que compõe a APM. Não podemos deixar de trabalhar para vencer os desafios atuais da Medicina, como manter sempre um diálogo com os novos médicos sobre a importância do associativismo. Se não estivermos juntos para enfrentar este novo panorama da Medicina, perderemos muito em um futuro próximo.” Kassey Henrique Vasconcelos – São José do Rio Preto

“Minha expectativa foi a melhor possível; conseguimos através desta reunião transmitir os nossos anseios em relação às dificuldades e aproveitamos a oportunidade parar trocar experiências positivas e negativas com outros representantes. Levamos para Presidente Prudente informações extremamente úteis no desempenho da nossa administração até o fim do nosso cargo.” Luiz Antonio Depieri – Presidente Prudente

“Esse encontro periódico beneficia muito os médicos quanto à suas condições trabalhistas. Atingimos a expectativa de manter as lutas de preservação de direitos e de qualidade de vida dos médicos e no sentido preventivo. Tenho só a parabenizar as últimas gestões por esse diálogo. São pessoas que lutam, lutaram e lutarão sempre pela classe médica.” Márcia Diniz - Santa Bárbara d’Oeste

“É sempre muito legal e prazeroso encontrar outros presidentes e representantes de Regionais, na presença do presidente José Luiz Gomes do Amaral. Estar à frente de uma associação do porte da APM é um misto de amor, dor, sofrimento e alegria. Essas reuniões são fundamentais para trocarmos experiência, vivência, rever velhos amigos e estreitar laços de companheirismo.” Marcos Cabello dos Santos (Bauru)

 

« voltar